Canábis e esquizofrenia

A relação entre cannabis e esquizofrenia é muito mais complexa do que imaginamos. Isto porque estão envolvidos vários factores, tais como a idade em que a marijuana é usada pela primeira vez. A quantidade e a frequência do uso da cannabis também desempenham um papel importante. Mesmo as vulnerabilidades genéticas.

Na verdade, o consenso geral é que o uso de cannabis aumenta o risco de psicose, embora em todos os usuários o efeito seja significativamente pequeno. No entanto, o efeito parece ser muito mais forte em indivíduos que já estão em risco de esquizofrenia.

As pessoas com histórico familiar de distúrbios psicóticos, ou aquelas que sofreram abuso infantil, também correm um risco elevado de desenvolver distúrbios psicóticos se usarem cannabis.

O que você precisa saber sobre cannabis e esquizofrenia

A esquizofrenia e outras doenças psicóticas são as principais fontes de mortalidade em todo o mundo. Eles também representam um encargo financeiro significativo para os sistemas de saúde. Isto tem levado muitas pessoas a questionar se a psicose pode ser curada ou qual é o tratamento mais eficaz.

O que é certo é que os factores de risco precisam de ser identificados para melhorar a saúde pública global neste caso particular. Os especialistas concordam que a esquizofrenia é causada por uma combinação de variáveis biológicas e ambientais, e há muito se suspeita que o uso de cannabis tenha um papel a desempenhar.

A Cannabis era conhecida por causar estados psicóticos agudos de curto prazo. No entanto, não havia dados suficientes para indicar uma ligação real entre a cannabis e doenças psicóticas crónicas, como a esquizofrenia.

esquizofrenia de canábis

Efeitos a longo prazo (fatores de risco de esquizofrenia)

O Dr. Stan Zammit, Professor de Epidemiologia Psiquiátrica, e colegas avaliaram a complexa relação entre o uso de cannabis e os seus efeitos a longo prazo na saúde mental. A investigação centrou-se em particular no impacto da cannabis no risco de esquizofrenia.

O estudo descobriu que as pessoas que usavam regularmente cannabis tinham um risco significativamente maior de esquizofrenia do que as que não o faziam. É importante notar que as evidências apontam para o uso de cannabis ter uma influência causal na psicose. Este efeito persiste mesmo depois de se levar em conta os efeitos de outros medicamentos e outros supostos factores de risco.

Enquanto isso, pesquisas da Universidade de Tel Aviv em Israel revelaram que ratos geneticamente susceptíveis desenvolveram alterações relacionadas à esquizofrenia depois de serem expostos à maconha.

Em outras palavras, o estudo indica que a cannabis tem maior probabilidade de produzir efeitos psiquiátricos a longo prazo em indivíduos mais susceptíveis. As pesquisas também mostram que a maconha tem um risco diferencial entre pessoas suscetíveis e não-susceptíveis.

Portanto, jovens com predisposição genética para a esquizofrenia, assim como aqueles com histórico de distúrbios psiquiátricos em suas famílias, são mais propensos a desenvolver esquizofrenia se eles usarem cannabis durante a adolescência.

O que é esquizofrenia?

Antes de falar sobre a cura da esquizofrenia, é essencial entender primeiro o que é a esquizofrenia. A esquizofrenia é uma condição mental que prejudica a capacidade de pensar claramente. Os sintomas podem ter um impacto na sua capacidade de lidar com a vida quotidiana.

Como tal, é considerada uma doença cerebral grave que torna difícil saber o que é real e o que não é. Também o impede de pensar eficazmente, lidar com as emoções, relacionar-se com as pessoas e levar uma vida normal. Tem um impacto na forma como uma pessoa age, pensa e percebe o mundo.

O tipo mais comum é a esquizofrenia paranóica, por vezes conhecida como esquizofrenia com paranóia. As pessoas que sofrem de esquizofrenia paranóica têm uma visão distorcida da realidade. Eles podem ver ou ouvir coisas que não estão lá, falar de uma maneira confusa, acreditar que os outros lhes fazem mal, ou sentir que estão constantemente a ser observados.

Tudo isso pode causar problemas nos relacionamentos, interferir no desempenho das tarefas diárias, incluindo tomar banho, ou comer. Pode até levar as pessoas a se auto-medicarem com álcool e drogas.

Durante os episódios psicóticos, períodos de depressão e os primeiros seis meses após o início do tratamento, muitas pessoas com esquizofrenia se retiram do mundo exterior, agindo confusas e aterrorizadas. Eles também estão em alto risco de suicídio.

sabendo se eu tenho esquizofrenia

Como posso saber se tenho esquizofrenia?

Embora a esquizofrenia seja uma doença crônica, muitas das ansiedades que as pessoas sentem sobre ela são infundadas. Esse é o caso das alucinações esquizofrénicas. A maioria das pessoas com esquizofrenia melhora em vez de se deteriorar com o tempo. As opções de tratamento estão sempre a aumentar e há inúmeras formas de tratar a doença. Uma ruptura psicótica com as articulações não é um bom tratamento, claro.

Como a esquizofrenia é frequentemente episódica, períodos de remissão são oportunos para implementar métodos de auto-ajuda destinados a reduzir a duração e a frequência de episódios futuros.

Muitas pessoas podem controlar seus sintomas de esquizofrenia leve operando independentemente. Na verdade, eles podem levar uma vida plena e gratificante com os cuidados, medicamentos e terapia adequados.

Com que idade aparece a esquizofrenia?

A esquizofrenia afeta algumas pessoas rapidamente e sem aviso prévio. No entanto, na grande maioria dos casos, a esquizofrenia paranóica desenvolve-se gradualmente. Aparecem sinais de aviso subtis, e a pessoa mostra uma redução progressiva no funcionamento muito antes do primeiro episódio grave.

Amigos ou familiares notarão muitas vezes que algo está errado desde o início, mesmo que eles não saibam o que é. Outros podem perceber a pessoa como estranha, desmotivada, sem emoção e isolada, especialmente durante os primeiros estágios da esquizofrenia.

Quer se trate de psicose esquizofrênica ou esquizofrenia leve, o indivíduo pode começar a se isolar, ignorando sua aparência. Ele ou ela também pode começar a dizer coisas estranhas, além de mostrar uma falta de interesse geral pela vida.

Em muitos casos existe a possibilidade de que a pessoa desista dos seus passatempos e actividades favoritas. Como resultado, o seu desempenho no trabalho ou na escola irá sofrer. Embora a esquizofrenia possa aparecer em qualquer idade, a idade média de início para os homens é do final da adolescência até aos vinte e poucos anos. Nas mulheres, a esquizofrenia aparece na casa dos vinte e poucos anos.

No entanto, a esquizofrenia raramente é diagnosticada em crianças com menos de 12 anos ou em pessoas com mais de 40 anos de idade.

esquizofrenia paranóica

Sintomas de esquizofrenia paranóica

Os primeiros sinais de aviso de esquizofrenia incluem:

  • Isolamento social e depressão.
  • Um visual plano, sem expressão.
  • Desconfiança, hostilidade, assim como reações extremas às críticas.
  • Incapacidade de chorar, ou de expressar alegria.
  • Falta de higiene pessoal.
  • Alegando coisas estranhas ou irracionais, usando palavras estranhas.
  • Excesso de sono, incapacidade de concentração.

Estes sinais de aviso podem ser devidos a uma variedade de problemas, não apenas esquizofrenia, e devem ser levados a sério. É recomendado que você procure ajuda médica se um comportamento incomum estiver causando problemas em sua vida ou na vida de um ente querido. Se a esquizofrenia ou outra doença mental for a causa, será benéfico procurar tratamento o mais rápido possível.

No entanto, foram identificados cinco sintomas de esquizofrenia. No entanto, o padrão e a intensidade dos sintomas diferem dramaticamente de pessoa para pessoa. Além disso, nem todas as pessoas com esquizofrenia apresentam todos os sintomas, e mesmo esses sintomas podem mudar com o tempo.

Delírios

Antes de saber se a esquizofrenia está curada ou não, é importante entender um de seus principais sintomas: delírios. Basicamente, elas são crenças persistentes que uma pessoa mantém, apesar de provas claras e convincentes do contrário.

Tais ilusões são particularmente comuns em pessoas com esquizofrenia e afetam mais de 90% das pessoas diagnosticadas. Essas ilusões são frequentemente acompanhadas por crenças ou fantasias irracionais ou bizarras, como por exemplo:

  • Delírios de perseguição
  • Delírios de referência
  • Delírios de grandeza
  • Delírios de controle

Alucinações

Sons ou outras experiências que se pensa serem reais, mas que estão simplesmente na sua cabeça, são conhecidos como alucinações. Enquanto as alucinações podem afectar qualquer um dos cinco sentidos, as alucinações auditivas, ou seja, ouvir vozes ou ouvir outra coisa, são o tipo mais comum de alucinação.

Isso geralmente acontece quando você percebe que seu próprio diálogo interno emana de algum outro lugar. O significado de ideias paranóicas ou alucinações esquizofrénicas é muitas vezes pessoal para a pessoa que as experimenta.

Além disso, as vozes são frequentemente as de alguém familiar, e são frequentemente negativas, profanas ou agressivas. Alucinações visuais também são comuns, embora todos os tipos de alucinações sejam agravadas quando a pessoa está sozinha.

Modo de falar desorganizado

A esquizofrenia pode dificultar a concentração e a manutenção de uma linha de pensamento, que pode se manifestar na fala. Uma pessoa com esquizofrenia pode responder a perguntas com uma resposta não relacionada, começando frases com um tópico e terminando com outro. Ele pode até falar incoerentemente ou fazer afirmações incoerentes.

Comportamento desorganizado

A esquizofrenia afeta sua capacidade de cuidar de si mesmo, trabalhar e se comunicar com os outros, interrompendo a atividade orientada por metas. Seguem-se exemplos de comportamento desorganizado:

  • Falta de inibição e incapacidade de controlar os impulsos
  • Respostas emocionais imprevisíveis ou inapropriadas
  • Diminuição do desempenho geral diário
  • Comportamentos que parecem bizarros e sem propósito

Ausência de comportamento normal

A ausência de atividades típicas presentes em pessoas saudáveis é conhecida como sintomas ‘negativos’ de esquizofrenia. Estes incluem o seguinte:

  • Falta de expressão emocional: O indivíduo exibe uma voz plana, falta de contato visual e emoções faciais em branco ou restritas, assim como um rosto sem expressão.
  • Falta de interesse ou entusiasmo: Isso se traduz em problemas de motivação; assim como falta de autocuidado.
  • Aparente falta de interesse no mundo. A pessoa tem uma aparente falta de consciência do meio ambiente, e evita a interação social.
  • Problemas de fala e anomalias. Elas incluem a incapacidade de manter uma conversa, dando respostas breves e muitas vezes não relacionadas a perguntas. Também é comum a utilização de um monótono.
tratamento da esquizofrenia

Tratamento para a esquizofrenia - a esquizofrenia tem cura?

Por mais angustiante que seja um diagnóstico de esquizofrenia, ignorar o problema não vai fazer com que ele desapareça. É essencial começar o tratamento o mais cedo possível com um especialista em saúde mental competente.

Ao mesmo tempo, é muito importante não acreditar no estigma que envolve a esquizofrenia ou na ideia de que é impossível recuperar. Um diagnóstico de esquizofrenia não significa que você terá que viver com sintomas cada vez mais graves e hospitalizações recorrentes para o resto da sua vida.

Muitas pessoas com esquizofrenia podem recuperar o funcionamento normal e até deixar de ter sintomas com o tratamento correto e a auto-ajuda. Vale a pena notar que o tratamento médico da esquizofrenia consiste principalmente em medicamentos antipsicóticos.

Embora sejam eficazes na redução dos sintomas de esquizofrenia, muitas vezes têm efeitos adversos sobre o paciente. Isto levou a que o sistema canabinoide endógeno fosse estudado nos últimos anos como um potencial tratamento terapêutico para a esquizofrenia.

A possibilidade de que as propriedades antipsicóticas do canabidiol possam beneficiar as pessoas que sofrem de esquizofrenia está agora a ser avaliada. Infelizmente, a relação positiva entre maconha e esquizofrenia ainda não foi totalmente estabelecida.

No entanto, pesquisas iniciais revelaram que a CDB pode aliviar os sintomas positivos da esquizofrenia, sem gerar efeitos colaterais adversos.

esquizofrenia cbd

Medicamentos e terapia

Uma combinação de medicina, terapia, mudanças no estilo de vida e apoio social é a estratégia de tratamento da esquizofrenia com maior sucesso. Em outras palavras, a esquizofrenia é uma doença crônica que requer terapia a longo prazo.

As pessoas que se perguntam se a esquizofrenia pode ser curada devem entender que para evitar novos episódios e permanecer livres de sintomas, é necessário continuar o tratamento, mesmo quando se sentem melhor. No entanto, o tratamento pode mudar com o tempo. O seu médico pode ser capaz de reduzir a quantidade ou ajustar a medicação quando os seus sintomas melhorarem.

Sintomas psicóticos como alucinações, delírios, paranóia e pensamento desorganizado são reduzidos pela medicação para a esquizofrenia. No entanto, nada disto é uma cura para a esquizofrenia.

A terapia pode ajudar no desenvolvimento das capacidades de lidar com a vida. Também na gestão do stress, na resolução de problemas interpessoais e na melhoria da comunicação.

A terapia de grupo pode até ser usada para conhecer outras pessoas numa circunstância semelhante. Isto pode ser ideal para dicas úteis sobre como superar obstáculos.

Itens relacionados

Subscreva a nossa newsletter

Inscreva-se e receba um desconto de 10% na sua compra.

Suscríbete y recibe un
10%DE DESCUENTO

Suscríbete y recibe un

10%DE DESCUENTO

Sólo por suscribirte a la lista de correo, recibirás inmediatamente un código descuento de un 10% para tu próxima compra

¡Te ha suscrito correctamente! Utiliza tu código HIGEA10 para recibir el descuento

0
Tu compra
Abrir chat
Preguntas a Higea CBD
Haciendo clic en aceptar. Acepta que Higea CBD tenga el contacto con usted.