Alzheimer y cannabinoides

5 benefícios da canábis para o tratamento de Alzheimer

by | 20 Ago, 2020 | Doenças

Oscanabinóides podem tratar Alzheimer? Explicamos as 5 vantagens que a sua utilização tem para esta doença. Também pode dizer se o CBD é usado para parkinson.

O Alzheimer é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, que afeta as capacidades cognitivas do doente, reduzindo o funcionamento da sua memória, linguagem, compreensão e até mesmo capacidades motoras.

Geralmente ocorre em pessoas com mais de 65 anos e, à medida que progride, acaba por tornar impossível que o doente cuide de si mesmo. No entanto, apesar da agressividade e limitação da doença, hoje não há cura.

No entanto, a medicina continua a lutar para encontrar alternativas que ofereçam melhorias e qualidade de vida aos doentes, retardando o progresso da doença e combatendo a deterioração iminente.

E entre as alternativas que recentemente destacaram estão os canabinóides, que ofereceram boas expectativas para retardar o progresso da doença e reivindicar a vida plena dos pacientes.
No que diz respeito às 5 melhores vantagens que um tratamento de canábis pode oferecer Alzheimer, falamos hoje.

1. O CBD e o THC podem reduzir o declínio cognitivo e reduzir as probabilidades de Alzheimer

O funcionamento das redes neurais, e o funcionamento da bioquímica cerebral,permanece um mistério.

Embora já tenham sido alcançadas algumas descobertas, é certamente mais desconhecida do que se sabe.

E entre o que se sabe está o facto de que a redução do declínio cognitivo específico da idade pode ajudar a reduzir o risco de Alzheimer.

Para isso, recomenda-se desde o exercício físico e mental, para continuar a estudar e, claro, ajudar a manter o equilíbrio químico no cérebro.

Neste sentido, uma das formas de melhorar o equilíbrio bioquímico, é graças à introdução de canabinóides; é o caso do THC,cuja estrutura química se assemelha a substâncias específicas do cérebro, conseguindo reativar circuitos neuronais endógenos.

Além disso, o CBD em conjunto com o THC (desde que não exceda uma concentração de 0,2%), reconheceu propriedades deflamatórias, o que favorece nos casos em que o Alzheimer já se desenvolveu.

E, em termos das suas propriedades antioxidantes e neuroprotetoras, estimulam a neurogénese.

Canabinóides de Alzheimer

2. Pequenas doses de THC diminuem a produção beta amiloide

As betas amiloides são produtos gerados a partir da proteína precursora amiloide (APP), cujas funções, embora ainda incertas em muitos aspetos, parecem estar relacionadas com a plasticidade neural (a capacidade do cérebro de se adaptar às mudanças estruturais geradas pelo ambiente), bem como o funcionamento sinóptico.

Mas uma coisa é verdade: sabe-se que no caso dos doentes de Alzheimer, a beta amiloide é acumulada, formando placas que destroem o tecido neural.

E, em busca de responder a este comportamento patológico das células PPP, foi decidido estudar a sua relação com o próprio sistema canabinóide do corpo, através da interação entre THC e células.

Os resultados mostraram que o THC trabalha diretamente na beta amiloide, reduzindo acumulações e impedindo a formação de placas.

Isto mostrou que a participação em doses baixas deste canabinóide, pode diminuir as placas malignas presentes no cérebro com Alzheimer.

3. Canábis responde à inflamação de Alzheimer

Hoje, sabe-se que a inflamação do tecido neural é característica de diferentes doenças neurodegenerativas, como é o caso do Alzheimer.

Na verdade, pensa-se que a inflamação inicial que ocorre no cérebro como uma resposta de defesa pela formação de placas beta amiloides, e outras anomalias específicas da doença, só pode aumentar ainda mais o desequilíbrio e precipitar a apresentação de sintomas e complicações da circunstância.

Por conseguinte, a investigação tem-se inclinado a estudar os melhores fármacos anti-inflamatórios disponíveis e, entre eles, destacou a canábis.

Tendo em conta a existência de um sistema endocanabinóide, sabe-se que é severamente alterado no cérebro de pacientes falecidos por Alzheimer.

Portanto, pode concluir-se que ou a doença acaba por deteriorar este sistema, ou é a falha deste sistema que leva à progressão da doença.

Isto permitiu saber que a introdução de canabinóides, atuando como anti-inflamatórios, poderia ser uma boa alternativa para diminuir este mecanismo de emergência e evitar as complicações que se precipitam.

óleo de alzheimer cbd

4. A canábis é neuroprotetor

Já lhe tínhamos falado antes das propriedades neuroprotetoras dos canabinóides, bem como do seu potencial antioxidante, um elemento que não pode passar despercebido numa doença como o Alzheimer.

Este tipo de condição é listado como altamente stressante a nível oxidativo e, claro, diretamente relacionado com a inflamação do tecido pelo constante estado de alerta que gera.

Esta inflamação resulta numa diminuição da capacidade antioxidante do próprio sistema, que está repleta de radicais livres e proteínas não reduzidas, como a APP.

Este último acaba por ter um impacto negativo na atividade sináptica do cérebro, o que resulta na deterioração das funções cognitivas, como a memória.

E, embora ainda não seja muito claro o papel que o sistema endocanabinóide pode desempenhar, sabe-se que a sua administração consegue reduzir favoravelmente o stress oxidativo, gerando um efeito neuroprotetor nas células e conseguindo alargar a sua capacidade antioxidante por muito mais tempo.

Lembre-se, aliás, que já falámos sobre os mesmos canabinóides, reduzindo o comportamento patológico da APP.

neurogénese cbd

5. O CBD pode estimular a neurogénese

Juntamente com os seus efeitos de deflação, e antioxidantes, ao canabinóide CBD, é atribuída a capacidade de estimular o crescimento de novos tecidos neurais– um processo conhecido como neurogénese.

No caso de Alzheimer, ocorre uma combinação devastadora de destruição de tecidos e prisão neurogénese, que acaba por aniquilar as hipóteses do paciente de recuperar as suas faculdades.

Por conseguinte, a possibilidade de aumentar a capacidade de crescimento do tecido poderia ajudar a lidar com a deterioração que progride na doença.

Estudos sugerem que o canabidiol pode induzir este processo graças, entre outras coisas, à sua capacidade de interagir com a beta amiloide e reduzir a sua reatividade.

thc cbd neurogénese

Alzheimer e Canabinóides: A Corrida Continua

Considerando o quão devastadora pode ser a doença de Alzheimer, ele continua a corrida por mais e melhores alternativas, que podem oferecer qualidade de vida, melhoria e até mesmo uma cura para os pacientes.

E os canabinóides parecem iluminar o caminho para possíveis terapêuticas que tornam o caminho mais fácil e fácil para a vida dos pacientes.

Se tem um membro da família que infelizmente tem Alzheimer, na nossa loja temos os produtos certos.

Pergunte-nos se tem alguma pergunta e teremos todo o gosto em ajudá-lo.

Que outras vantagens achas que a cannabis tem sobre o Alzheimer?

Itens relacionados

Subscreva a nossa newsletter

Inscreva-se e receba um desconto de 10% na sua compra.

Suscríbete y recibe un
10%DE DESCUENTO

Suscríbete y recibe un

10%DE DESCUENTO

Sólo por suscribirte a la lista de correo, recibirás inmediatamente un código descuento de un 10% para tu próxima compra

¡Te ha suscrito correctamente! Utiliza tu código HIGEA10 para recibir el descuento

0
Tu compra